Chemical Brothers não inova, mas traz bom disco em Born In The Echoes

Chemical Brothers não inova, mas traz bom disco em Born In The Echoes
01 DE Julho DE 2015
É sempre bom poder falar e um novo álbum de um dos responsáveis por você ouvir música eletrônica no trânsito sem ser tachado de frito voltando da rave. Born In The Echoes, o novo álbum do The Chemical Brothers, vem com a mesma força que o duo inglês vem aplicando em suas tracks há quase 25 anos, e isso significa que as coisas não mudaram efetivamente.
As três faixas que abrem o disco – e que já foram lançadas – dão uma noção boa do que vem por aí. "Sometimes I Feel So Deserted" passa uma boa impressão, mescla bem o que há nas 11 faixas do disco: melodias fáceis e experimentalismo. Exatamente o que Tom Rowlands e Ed Simons tem feito desde que adotaram Chemical como sobrenome.



E a prova de que este álbum será um mais do mesmo do começo ao fim vem definitivamente já na segunda faixa do disco, "Go", que conta com os vocais de Q-Tip, um bass line marcante e claro, um clipe com a direção de Michel Gondry, parceiro em "Star Guitar" e "Let Be Forever", clássicos tanto nos fones, como nas pistas, quanto nas telas.



A terceira faixa lançada foi "Under Neon Lights", da parceria com St. Vincent, que escancara as portas do experimental no disco que tem lançamento previsto para o dia 17 de julho, e que ainda conta com as participações de Ali Love e Beck, na faixa em "Wide Open", que dá o último respiro de um disco que tem um bom groove, boas linhas de baixo, quês de acid house e techno.



Sem dúvidas é um bom disco, mas nada de muito novo. E vamos combinar que Rowland e Simons não precisam provar absolutamente nada para ninguém.

"A característica mais importante do álbum é que ele se conecta com a gente emocionalmente de alguma forma. Esperamos encontrar uma nova maneira de fazer você sentir isso. Sonhamos com novos sons e cortes diferentes. Temos trabalhado com alguns artistas convidados, mas este álbum é puro Chemical Brothers.", diz Tom Rowlands.



Para descobrir se vamos sentir estas músicas de uma nova maneira, devemos esperar até o dia 17 de julho, mas principalmente até 28 de novembro, quando a dupla se apresenta no Sónar São Paulo 2015 ao lado de Hot Chip, Brodinsk e Evian Christ.

Rodrigo Guarizo
Equipe Fusion